O programa, oferecido em parceria com a New Perimeter  PILNET–Public Interest Law e o Instituto Pro Bono, pretende colocar em pauta as possibilidades, incentivos e questões éticas envolvidas na realização da advocacia pro bono, bem como os diversos modelos e práticas vigentes ao redor do mundo. 

O Programa de Pós-Graduação Lato Sensu (GVlaw) da Escola de Direito da FGV em São Paulo (DIREITO GV) realiza neste semestre o curso “Advocacia pro bono no Brasil e no mundo: práticas, incentivos e perspectivas”. O programa, oferecido em parceria com a New Perimeter  PILNET–Public Interest Law e o Instituto Pro Bono, pretende colocar em pauta as possibilidades, incentivos e questões éticas envolvidas na realização da advocacia pro bono, bem como os diversos modelos e práticas vigentes ao redor do mundo. Com isso, busca-se incitar a reflexão sobre as perspectivas de ampliação da advocacia de interesse público no Brasil.

“O momento não poderia ser mais oportuno”, avalia Marcos Fuchs, diretor-executivo do Instituto Pro Bono. Para o especialista, a audiência pública sobre as restrições à prática da advocacia pro bono no Brasil e a forte adesão da sociedade civil ao debate levaram a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a suspender as limitações existentes em algumas seccionais. “A Ordem acabou criando uma comissão encarregada de propor uma regulação sobre a realização da advocacia pro bono em nível nacional”, avalia Fuchs.

As inscrições vão até o dia 20 de fevereiro e o início do curso está para previsto para 24 de março.

Para mais informações, o interessado pode acessar aqui.