Pesquisa realizada pelo Centro de Empreendedorismo e de Novos Negócios (GVcenn) da  Escola de Administração de Empresas da FGV em São Paulo (EAESP) nos estados do Norte (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) revela que os moradores da região são os mais empreendedores do país.
 

A taxa de empreendedorismo da localidade, que possui 16 milhões de habitantes, equivale a 8,5% da população brasileira e é responsável por 5% do Produto Interno Bruto (PIB).
 

Segundo o coordenador do Centro de Empreendedorismo e de Novos Negócios da EAESP, Tales Andreassi, a taxa de empreendedores iniciais na região é de 17,9%, ante 15,4% da média brasileira. O especialista afirma que os números do Norte do país revelam que o empreendedorismo regional é estimulado por impulso, não é conduzido por planejamento corporativo e, muitas vezes, é a única possibilidade de sobrevivência.
 

O levantamento feito pela EAESP destaca que a maioria dos empreendedores iniciais – com empresas até 42 meses de funcionamento – são homens a partir dos 35 anos, com primeiro grau completo. Já entre os consolidados, as maiores taxas são de homens entre 55 e 64 anos, com primeiro grau incompleto e faixa de renda de mais de nove salários.
 

O estudo aponta ainda que fatores como o recente crescimento econômico regional, a possibilidade de alavancar a renda mensal e a escassez de emprego formal são possíveis razões que explicam as elevadas taxas de empreendedorismo no Norte do Brasil.
 

Informamos que o site do FGV Notícias foi incorporado ao Portal FGV em maio de 2017.
O que você deseja fazer?